Acompanhamento Das Atrasadas na B3

No dia 25 de novembro, escrevi aqui no blog sobre 4 ações que estariam atrasadas em relação ao Ibovespa. As ações eram Cielo (CIEL3), Cogna (COGN3), IRB (IRBR3) e Embraer (EMBR3). A tese era que o mercado estava forte, cada uma delas apresentavam resultados ruins e com nuvens negras no horizonte. E que ao equacionar os problemas específicos poderiam ter um upside no curto a médio prazo. Claro que os problemas não foram resolvidos, embora melhoras já sejam visíveis. Vamos falar de cada uma delas e o que o cenário pode trazer em cada caso, que possa justificar as altas recentes. CIELO O auxílio  emergencial tem sido um dos fatores que têm alavanc…

Continuar Lendo »

Ativos Atrasados Na B3 - Potencial de Ganhos

O mercado brasileiro teve um desempenho muito bom nas últimas semanas. Depois de atingir 93 mil pontos no início de novembro, fechou ontem, 20/11/2020, aos 106 mil.  Vários ativos, principalmente os que tem maior peso no IBOV, como o setor bancário, Petrobrás e Vale performaram muito bem e recuperaram boa parte das perdas desde o início da pandemia, em março/2020. Olhando em detalhes, verificamos que ainda há ativos que o mercado vinha penalizando e batendo há muito tempo, cada um por seus próprios motivos e que ainda não acompanharam essa pernada de alta e esse possível rali de final de ano. Que ativos seriam esses e por que eles ainda não for…

Continuar Lendo »

O Conceito da Sabedoria Convencional

O economista, filósofo e escritor americano John Kenneth Galbraith, explanou em seu livro "A Sociedade Afluente" um conceito interessante  perfeitamente aplicável à atualidade, chamado "Sabedoria Convencional".   Para ele, a sabedoria convencional é aquela força que impele o "status quo" a defender as ideais estabelecidas como verdade e aceitas pela elite influente. Persiste entre os defensores uma certa teimosia na manutenção das ideias amplamente aceitas e que mantém uma certa estabilidade. Muitas vezes a retórica dos defensores prega a inovação e as novas ideias, mas apenas para enfatizar e reforçar os velhos …

Continuar Lendo »

O Fator Tempo ou a Paciência nos Investimentos

Nesses tempos de incerteza diante do cenário de crise provocada pelo novo coronavírus e do impacto na economia, nos empregos e em última instância no lucro das empresas, não tem sido fácil ganhar dinheiro na renda variável.   Aliás, não falo nem em ganhar, mas em recuperar o que já perdemos e tentar preservar o capital. Lembramos das lições dos mestres do investimento sobre as duas regras: a primeira é não perder dinheiro; e a segunda é não esquecer a regra número um.   Pois bem. Mesmo para aqueles que não são investidores de longo prazo ou mesmo buy and hold, os chamados trades, o fator tempo tem sido crucial para minimizar os prejuízos.…

Continuar Lendo »

O fenômeno da Memória Compradora e o Risco que Isso Embute

Nesses tempos de completo descolamento do preço com os fundamentos na bolsa de valores, os investidores e especuladores buscam formas de recuperar o dinheiro perdido com as quedas recentes e continuar adicionando valor ao seu patrimônio. E uma das formas que dispõem para realizar operações na bolsa é escolhendo ativos que tem alta volatilidade e sempre atraem muitos compradores, gerando liquidez e recuperação rápida de preços. O que eu denomino de "Memória Compradora" é o comportamento dos investidores em adquirir ativos com alta volatilidade histórica e que voltam rapidamente aos seus patamares anteriores de preço, por meio de …

Continuar Lendo »

Resiliência Insensata

Os sistemas complexos são aqueles compostos de muitas variáveis e componentes que se interrelacionam e que provocam o que os estudiosos chamam de equilíbrio instável. São dinâmicos e, a cada perturbação, rearrumam-se e se reorganizam em um novo equilíbrio dinâmico. Pela complexidade de suas relações e interações, são difíceis de serem reproduzidos em laboratório e não permitem que se construa um modelo teórico que os represente com perfeição. Eles são denominados de sistemas não-lineares, principalmente porque não há relações claras de causa e efeito e pequenas mudanças no estado atual podem provocar modificações radicais que o impele a u…

Continuar Lendo »

Não se Envergonhe por Mudar de Ideia

Michel de Montaigne, filósofo e humanista francês, considerado o inventor do ensaio pessoal, considerava que o homem não tinha uma constância fixa. As ações humanas e seus comportamentos variavam de acordo com as circunstâncias presentes no momento da ação. E que a mesma pessoa pode agir diferente, dado que as circunstâncias mudam e nós também, dada a natureza fluida do nosso eu. Extrapolando esse raciocínio para o nosso dia-a-dia, não faria sentido em revisar ideias e textos passados escritos por nós, porque éramos outra pessoa quando os escrevemos e o fizemos com base no nosso entendimento daquela época e com as informações então dispon…

Continuar Lendo »

Diferentes Modalidades na Renda Variável

Há uma diferença óbvia de abordagem na compra de ações a depender de qual investidor você é: fundamentalista ou trader. O fundamentalista costuma não concentrar muito em preço na hora de escolher uma ação para comprar. Ele foca no valor, no que está pagando em termos de retornos futuros. O preço de entrada só é importante para ele ao compará-lo com o valor projetado, considerando o crescimento dos lucros futuros e a geração de valor ao acionista ao longo do tempo. Existindo margem de segurança, ou seja, diferença entre o preço e o valor, faz sentido a adição do ativo na carteira. Para o trader, o foco é outro. O prazo aqui é curto a m…

Continuar Lendo »

Uma Técnica Para Previsões de Mercado

Já escrevi antes aqui no blog que entendo ser vantajoso assinar uma ou mais casas de análises (Research), pois são úteis ao aprendizado do investidor iniciante e até do intermediário. Ajuda na montagem de uma carteira e ensina conceitos importantes da área. No início desse blog, opinei sobre algumas casas de análise que conhecia e apontei vantagens e desvantagens em cada uma. O artigo é esse: " Vale a Pena Contratar uma Casa de Análise de Investimentos? " Mais recente postei sobre isso, revelando que " Voltei a Assinar a Empiricus ". E uma das newsletters que assino é a série "Strategic Intelligence", esc…

Continuar Lendo »

O Engodo dos Dividendos

Desculpem os fundamentalistas, mas o que vou escrever aqui pode ofender aos "buy and holders" raízes. Como investem essas pessoas? Elas buscam empresas sólidas, com boa lucratividade, altas margens, que atuam em setores com barreiras à entrada de concorrentes, que geram caixa consistentemente e pagam dividendos. Toda essa conversa que já conhecemos. Os que adotam essa forma de investir acreditam que ao longo do tempo essas empresas apresentarão crescimento nos lucros, com consequente valorização das suas ações. A ideia é manter em carteira indefinidamente, reinvestindo os dividendos na compra de novas ações, fazendo aportes regu…

Continuar Lendo »

Por que as Ações que Vendemos Sobem?

Essa semana realizei lucro em duas ações da minha carteira. Vou revelá-las aqui sem dar maiores detalhes sobre os pontos de entrada e de saída. No Artigo " Divulgação da Carteira " expus os motivos pelos quais eu não divulgaria detalhes das operações. As ações foram KLBN11 e GGBR4. A carteira atual dispõe de nove ativos (eram onze). Para minha surpresa, essas duas ações continuam subindo e, claro, devo ter deixado dinheiro na mesa. Só lembrando que opero na modalidade de swing trade de curto ou médio prazo e essas ações permaneceram por cerca de 70 dias. Por que ficamos com a sensação de que as ações estão esperando somente que …

Continuar Lendo »

O que é Investir Para Longo Prazo?

Vamos direto ao ponto. Investir para o longo prazo não é comprar um ativo e guardá-lo para que no futuro (20 a 30 anos) à frente ele valha n vezes mais do que você aportou. Entendo que investir para o longo prazo é o ato de ter consciência de guardar parte do que ganha para formação de patrimônio e construir a independência financeira. E não permanecer nos mesmos ativos sempre. As condições econômicas mudam o tempo todo e os mesmos ativos não lhe darão ganhos por todo o tempo. Fatores como juros, inflação, crescimento do PIB, influenciarão determinados ativos para cima ou para baixo. Vamos exemplificar os juros. Em u…

Continuar Lendo »